São Paulo, 25 de Setembro de 2013 - 18:40

UHE Jirau aguarda desdobramentos do recurso interposto pela Santo Antônio Energia

Acionistas também acreditam na possibilidade de acordo com a Bolívia

Por Adriana Maciel, de Brasília

Fonte Maior Fonte Menor
Crédito: GDF

O presidente da GDF Suez Brasil, Maurício Bähr, empresa líder do consórcio responsável pela usina hidrelétrica Jirau, afirmou nesta quarta-feira (25/09) que os controladores aguardam os desdobramentos do recurso interposto pela Santo Antônio Energia na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A empresa contesta a cessão de lastro imposta pela agência reguladora quando aprovou a ampliação da UHE Santo Antônio.

“A Aneel nos deu 24 (MWmédios), mas temos que ver o que vai acontecer. Estamos aguardando o julgamento desse recurso de Santo Antônio na Aneel”, explicou Bähr. O presidente acrescentou que Jirau não fará recurso por enquanto, apesar de discordar da decisão, por achar que a cessão não é suficiente para cobrir o prejuízo. “O nosso mínimo de direito adquirido após a decisão da Aneel são 24MW, achamos que temos direito a 90MW médios”, disse.

Caso o pleito da Santo Antônio seja atendido e a cessão seja cancelada, o presidente da Suez afirmou que daí sim deverão tentar reverter o quadro. “Vamos discutir com o Ministério (de Minas e Energia) e com a Aneel. O diálogo sempre leva a alguma coisa”, afirmou Bähr.

Outra possibilidade de resolver a situação e não ter de obrigar a UHE Santo Antônio a ceder lastro para Jirau, seria um acordo do governo brasileiro com o governo da Bolívia. Caso o país vizinho permitisse a expansão de Jirau no território boliviano, a UHE não teria prejuízo com a ampliação de Santo Antônio. “Estamos apostando na hipótese da Bolívia sim, apostando que podemos otimizar a operação de Jirau. Então a partir daí, temos outra possibilidade”, ressaltou.

O primeiro dia de operação comercial da UHE Jirau ocorreu no dia 06 de Setembro, quando uma das 50 turbinas previstas foi colocada em funcionamento.

 



Comentários:

O Jornal da Energia não se responsabiliza pelas opiniões abaixo expressadas por seus leitores.


Ainda não há comentários para esta notícia. Seja o primeiro a comentar.

Obs: comentários com ofensas diretas serão editados

© 2009 Editora Lumière . Todos os direitos reservados.