Patrocínio:

São Paulo, 09 de Janeiro de 2014 - 10:00

RS quer gaseificar carvão de Candiota

Projeto de P&D foi proposto pela CRM e será desenvolvido em seis meses

Da redação

Fonte Maior Fonte Menor
Crédito: Divulgação/Petrobras

O presidente da Companhia Riograndense de Mineração (CRM), Elifas Simas, entregou na terça-feira (07/01), à Secretaria de Infraestrutura e Logística (Seinfra), documento propondo um projeto de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) para gaseificação do carvão de Candiota. O objetivo é apontar novos rumos à produção do mineral e abre possibilidades a um importante retorno econômico e social em termos de energia limpa, abundante e economicamente viável.

O prazo estimado para o desenvolvimento do P&D é de seis meses, dependendo dos encaminhamentos necessários e a viabilização, por meio de parcerias, da atuação de responsáveis para o processo de pesquisa levando em conta a viabilidade técnica, econômica e financeira. O diretor-geral da Seinfra, Alexandre Stolte, destacou que pretende ampliar os estudos a todas as unidades de mineração da CRM, visando aprimorar os estudos acerca dos aspectos diversificados do carvão gaúcho e suas características distintas.

A gaseificação consiste na transformação de carvão em energia através de reações químicas que combinam o carvão e o oxigênio decompondo poluentes, gerando gás que pode ser convertido em eletricidade, combustíveis e fertilizantes. Tendo como principais componentes o hidrogênio e o monóxido de carbono, o gás de síntese gerado é o ponto de partida para diversos produtos, podendo produzir simultaneamente mais de um derivado.

Otimista quanto aos estudos que deverão apontar a viabilidade da gaseificação do carvão gaúcho, Elifas Simas acredita que a gaseificação poderá resultar em menores custos operacionais convertendo a matéria prima em produtos de alto valor agregado. Os principais subprodutos provenientes, como enxofre e ácido sulfúrico, são comercialmente viáveis. As plantas de gaseificação requerem menos equipamentos no controle de emissões, representando menores custos operacionais.

As grandes reservas do Estado ressaltam boas possibilidades para o carvão tornar-se um produto mais atrativo financeiramente que o gás natural proveniente do gasoduto Bolívia-Brasil. Respeita as regulamentações ambientais vigentes e os níveis de emissões são ínfimos.

Eletricidade
O suprimento de energia elétrica gerado em térmicas não poluentes que funcionam a partir do denominado ciclo combinado que consiste na mistura de gases e vapor em que a reação produz energia com a remoção previa do dióxido de carbono.

 



Comentários:

O Jornal da Energia não se responsabiliza pelas opiniões abaixo expressadas por seus leitores.


Ainda não há comentários para esta notícia. Seja o primeiro a comentar.

Obs: comentários com ofensas diretas serão editados

© 2009 Editora Lumière . Todos os direitos reservados.